FHC manda PT pro inferno

FHC manda PT pro inferno

Incomodado com o assédio do PT, que exige apoio à candidatura Lula/Haddad, ex-presidente tucano manda partido pro inferno, mas diz que tem porta com Haddad e muro entre Bolsonaro e ele

José Nêumanne

15 de outubro de 2018 | 18h06

Em entrevista a Pedro Venceslau, do Estado, Fernando Henrique disse: “Não estou vendendo minha alma ao diabo”. Foto: Leo Martins

Assediado pelo PT, que cobra seu apoio ao candidato Lula/Haddad no segundo turno desta eleição presidencial, o ex-presidente Fernando Henrique deu entrevista ao repórter Pedro Venceslau, do Estado, e não titubeou: “Ah, vá para o inferno. Não preciso ser coagido moralmente por ninguém. Não estou vendendo a alma ao diabo”. E completou: “há uma porta” com Fernando Haddad (PT), mas com o “outro (Jair BolsonaroPSL)”, não. O petista se animou, talvez por não saber que nem toda porta está aberta, da mesma forma como não percebeu que o sulafricano, que saiu da prisão para o poder, não era igual a Lula, pois Mandela corrupto não era Nelson, era Winnie, de quem ele se separou. Este foi um dos meus comentários no Estadão às 5, ancorado por Emanuel Bomfim e transmitido por Youtube, Twitter e Facebook do estúdio da TV Estadão na redação do jornal às 17 horas da segunda-feira 15 de outubro de 2018.

Para ver o vídeo clique aqui

Para ver vídeo com trechos da entrevista clique aqui e no vídeo contido no texto

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.