Feitiço contra feiticeiro Lula
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Feitiço contra feiticeiro Lula

Artigo semanal no Blog do Nêumanne revela que Lula caiu agora em armadilha armada por seu ministro da Justiça no primeiro governo, Marcio Thomaz Bastos, e furo do Intercept teve spoiler dele e de Gilmar

José Nêumanne

18 de junho de 2019 | 11h05

Quando foi anunciado na OAB futuro ministro da Justiça, Marcio já era espírito santo de orelha de Lula. Foto: Dida Sampaio/Estadão

No artigo semanal no Blog do Nêumanne, O Ovo da Serpente, chamei a atenção para o fato de que o “ovo da serpente” do poder adquirido pela PF e pelo MP, que resultou no combate à corrupção de operações como a Lava Jato, agora contestadas com a revelação de contatos por aplicativo Telegram entre Moro, Dallagnol e outros procuradores, foi gestado no primeiro governo Lula, sob a égide de seu ministro da Justiça. O criminalista Márcio Thomaz Bastos, escolado nos júris criminais, fortaleceu as duas instituições para manter sob ameaça judicial adversários do governo e do PT ou livrar de culpa parceiros em falcatruas, como a Camargo Corrêa na Operação Castelo de Areia. Morto Bastos, Lula, para quem ele advogou na Justiça Militar, está vendo agora o feitiço se virar contra o feiticeiro e tentando virar o jogo.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para o comentário da terça-feira 18 de junho de 2019:

1 – Haisem – Por que cargas d’água você resolveu abrir seu artigo semanal no Blog do Nêumanne, editado ontem à noite, com a história velha e esquecida dos procuradores Torquemada e Shelb para falar do hackeamento dos celulares de autoridades que combatem corrupção no Brasil hoje

2 – Carolina – E o que tem a ver a atuação do criminalista e ex-ministro da Justiça no primeiro governo Lula, Marcio Thomaz Bastos, a ver com o caso que foi revelado pelo site The Intercept Brasil, editado pelo americano Glenn Greenward, e está causando tumulto geral na República agora

3 – Haisem – Por que você retomou agora em seu Blog, que normalmente não lida com dados históricos, mas com notícias recentes, a denúncia que fez em seu livro O Que Sei de Lula sobre a atuação do petista e de seu advogado em processos na Justiça Militar à época do regime autoritário para instalar um estado policial no Brasil após a redemocratização

4 – Carolina – E o que você chama a atenção numa das recentes entrevistas de Lula para o fato de ele ter dado um spoiler espetáculo ao anunciar aos repórteres que o foram visitar na cela de Estado Maior de Curitiba de que logo se vingaria do ex-juiz Moro e do procurador Dallagnol

5 – Haisem – O que, a seu ver, aconteceu agora que Joaquim Levy, um economista com passagens pelos governos de Sérgio Cabral, Lula e Dilma, se transformou numa espécie de favorito de gente tão diferente como Rodrigo Maia e Mailson da Nóbrega, do PT que execrou sua passagem no governo Dilma e do jornal antipetista britânico Financial Times

6 – Carolina – Quais são as chances do financista escolhido por Bolsonaro e Guedes para presidir o BNDES, Gustavo Montezano, conseguir cumprir a tarefa com a qual o presidente se comprometeu com o eleitorado que o levou à Presidência da República, e na qual executivos mais badalados no Brasil, como Sílvia Bastos, Paulo Rabelo de Castro e agora Joaquim Levy malograram fragorosamente

SONORA_PORTA VOZ 1806

7 – Haisem – O que você tem a dizer sobre o recorde espetacular da Odebrecht, que, com dívidas de quase 100 bilhões de reais, está pedindo a maior recuperação da História

8 – Carolina – Você acha que o procurador da Lava Jato Carlos Lima, que acaba de deixar o cargo para se aposentar, tem razão ou apenas defende seus antigos companheiros e certamente amigos ao dizer que hackeamento dos celulares de Moro, Dallagnol, Janot, Abel, Gabriela e outras autoridades que combatem a corrupção foi feito com o objetivo específico de soltar Lula e destruir Moro

As respostas às quatro primeiras perguntas resumem argumentos que usei no artigo O Ovo da Serpente, publicado neste blog desde segunda-feira 17 de junho de 2019.

Se tiver interesse em lê-lo, clique aqui

 

Tendências: