Federal no caso Marielle

Federal no caso Marielle

Sugestão de Jungmann para Polícia Federal participar da investigação da execução de Marielle e Anderson oferece saída para impasse provocado pela suspeição de polícia fluminense ter participado do crime

José Nêumanne

13 de agosto de 2018 | 07h04

A lerdeza da investigação das mortes de Marielle e Anderson põe em séria suspeita polícias civil e militar do Rio. Foto: Mario Vasconcelos/EFE/CMRJ

A correta oferta do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, da participação da Polícia Federal na investigação da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes é, ao mesmo tempo, uma oportunidade de sair do impasse provocado pela lerdeza incomum das polícias civil e militar do Rio, suspeitas de terem participado do assassinato e o reconhecimento da inutilidade da intervenção militar na segurança daquele Estado conflagrado. Resta saber se as autoridades fluminenses concordarão com a iniciativa e se estas corporações não sabotarão o trabalho dos federais, o que seria lamentável, pois a elucidação desse crime bárbaro é do interesse de todos os que nele não estão envolvidos. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar desde as 6 horas de segunda-feira 13 de agosto de 2018.

Para ouvir clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.