Fachin limpa ficha de Lula

A pretexto de adotar estratégia para liberar Moro de punição por imparcialidade, relator da Lava Jato no STF anulou 4 condenações do ex-presidente em Curitiba, transferindo ações para Brasília

José Nêumanne

09 de março de 2021 | 20h43

Com decisão monocrática de Fachin, relator da Lava Jato no STF, Lula fica liberado para disputar eventual segundo turno da eleição presidencial contra Bolsonaro, como este deseja. Foto: Adriano Machado/Reuters

Em 46 páginas, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, anulou as condenações impostas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato, determinou que as ações penais contra o petista sejam enviadas à Justiça Federal do Distrito Federal e o habilitou a disputar as próximas eleições presidenciais. Conforme antecipou o Estadão na semana passada, a manobra faz parte de uma estratégia de reduzir danos e de tirar o foco do ex-juiz Sérgio Moro e preservar o legado da Lava Jato, diante de derrotas iminentes que ameaçam o futuro da investigação. Mais um dia no país da impunidade, como diria meu caro amigo Barbosinha. Resta agora saber a que armas a confraria recorrerá para abater o inimigo comum, Moro, agora de volta ao combate pela supreendente mexida no tabuleiro pelo relator da Lava Jato no STF.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário da terça-feira 9 de março de 2021

1 – Haisem – Fachin anula condenações de Lula, que pode voltar a disputar eleições – Esta é a manchete da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Qual é o impacto que essa decisão do relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal pode ter no cenário político do Brasil neste instante de enormes dificuldades para o povo

2 – Carolina – Lula livre interessa a Bolsonaro – Este é o título de seu artigo publicado no Blog do Nêumanne do Portal do Estadão desde ontem, à noite. Que motivos pode ter, na sua opinião, o presidente da República para preferir disputar um eventual segundo turno da eleição presidencial de 2022 com o adversário preferencial petista

3 – Haisem – A macabra proeza de Bolsonaro – Este é o título de chamada no alto da primeira página do jornal desta terça-feira. Que proeza pode ter sido essa do presidente da República comentada no primeiro editorial do dia

4 – Carolina – Bolsonaro critica decisão de  ministro; PT reage com cautela – Este é o título de mais uma chamada no alto da primeira página do Estadão. O que justifica as reações do presidente da República e do partido daquele que você diz ser o favorito dele para a disputa no segundo turno da próxima eleição presidencial

5 – Haisem – Governo acelera cronograma de doses da Pfizer – Este é mais um título de chamada na primeira página do jornal desta terça-feira. O que, a seu ver, alteriou radicalmente a postura de Bolsonaro em relação à compra da vacina produzida nos Estados Unidos

6 – Carolina – Municípios e Estados ignoram lei e dão reajuste – Este é o tírulo de outra chamada de primeira página do Estadão de hoje. O que justifica essa decisão de governadores e prefeitos de atropelarem a ordem jurídica vigente neste momento de maior dificuldade financeira dos entes federativos devida à recessão econômica provocada pela pandemia

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.