As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fachin derruba liminar de Toffoli

Ao desautorizar decisão monocrática do presidente do STF favorecendo procurador-geral Aras em exigência de acesso a 350 terabytes de procedimentos sigilosos da Lava Jato, relator expõe divisão na Corte

José Nêumanne

04 de agosto de 2020 | 21h01

Na decisão contra liminar de Toffoli autorizando Aras a ter acesso a arquivos sigilosos da Lava Jato, Fachin expôs desnecessidade da decisão monocrática do presidente no plantão do recesso. Foto: Wilton Jr./Estadão

O relator da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin, derrubou a decisão do presidente da Corte, Dias Toffoli, que havia determinado o compartilhamento de dados das forças-tarefa da Lava Jato com a cúpula da Procuradoria-Geral da República (PGR). Em julho, durante o plantão no recesso do STF, Toffoli determinou às forças-tarefa da Lava Jato – em Curitiba, São Paulo e no Rio de Janeiro – que enviassem à PGR “todas as bases da dados estruturados e não-estruturados utilizadas e obtidas em suas investigações”. Com o retorno das atividades do tribunal, Fachin, relator da ação, derrubou a liminar e expôs divisões internas do Supremo sobre métodos de investigação da Lava Jato. José Paulo Cavalcanti Filho e Álvaro Dias tinham razão e eu estava enganado quando o combati à ocasião da nomeação por Dilma Rousseff.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na terça-feira 4 de agosto de 2020:

1 – Haisem – Fachin derruba decisão de Toffoli sobre a Lava Jato – diz título de chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Por que o relator da operação no Supremo Tribunal Federal negou permissão ao procurador-geral da República, Augusto Aras, para devassar segredos do mais bem-sucedido combate à corrupção no País

2 – Carolina – Aras vai recorrer da decisão que impede acesso a dados da Lava Jato – revela título de chamada de capa do Portal do Estadão que está no ar no momento. Quais são, a seu ver, as chances de sucesso desse recurso do procurador-geral da República e que conseqüências terá

3 – Haisem – Governo demite autor de dossiê sobre críticos – noticia título de chamada de primeira página do Estadão. Você acha que foi correta a decisão do ministro da Justiça e da Segurança Pública, André Mendonça para calar o clamor geral contra a espionagem dos servidores antifascistas

4 – Carolina – A patota do consórcio anti-Moro – eis o título de seu artigo semanal no Blog do Nêumanne, postado ontem no Portal do Estadão. Como e por que funciona o pacto firmado pelos poderosos do momento para evitarem que o ex-ministro da Justiça possa disputar a eleição presidencial de 2022

5 – Haisem – “Talvez nunca exista vacina”, diz diretor da OMS – é título de chamada na primeira página do Estadão. O que, a seu ver, terá motivado o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, a fazer previsão tão funesta num momento tão difícil da pandemia, que ele, aliás, demorou muito a admitir, dizem que para aliviar a barra da China

6 – Carolina – Por apoio à CPMF, Guedes vai propor menos tributo na folha – Esta é a manchete do Estadão de hoje. O que você acha dessa troca proposta pelo “posto Ypiranga” da economia do governo Bolsonaro a esta altura do campeonato da terrível pandemia

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: