Ex-ministro não desencarna de ex-Ministério

Bolsonalão institui o tríplice ex-ministério da Saúde, e, no combate à pandemia, Bolsonaro diverte-se desmandando, e Pazuello e Queiroga cumprem, com cinismo, o projeto de demolição da pasta

José Nêumanne

18 de março de 2021 | 12h06

Queiroga, que será ministro quando atual, Pazuello, exonerado, resolver sair, aguarda instruções de quem realmente manda no ex-ministério da Saúde, fingindo fazer incentivão antes de assumir. Foto: Dida Sampaio/Estadão

1 – O Brasil vive uma situação absurda em que três ministros – Bolsonaro, Pazuello e Queiroga – atuam ao mesmo tempo no ex-ministério da saúde, mas um só, o chefão de todos, desmanda e os outros apenas obedecem. 2 – Os quatro cavaleiros do Apocalipse – Quidroga Peste, Pesadelo Mortal, Fábio Fome e Flávio Guerra – se reúnem sem máscara no palácio para mostrar que defendem o contágio como sempre. 3 – O líder do governo na Câmara, Barros, disse ser “confortável” a cena de brasileiros morrendo em filas de UTI. 4 – Em meu artigo no Estadão, “O bafo da mentira e o beijo da morte”, chamo o capetão de Anticristo, pois prega o desvio, a mentira e a peste. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade salvará nossas vidas.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.