As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ex-aliado põe 2 Bolsonaros em fria

Empresário Paulo Marinho contou que filho 01 do presidente lhe contou que delegado da PF o procurou para dizer que Operação Furna da Onça foi adiada para não alterar resultado de segundo turno da eleição

José Nêumanne

19 de maio de 2020 | 17h55

Revelações bombásticas de Paulo Marinho em entrevista poderão encrencar de vez Jair e Flávio Bolsonaro, se procurador-geral incluí-las no inquérito de acusações de Moro. Foto: Werther Santanna/Estadão

Em entrevista a Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o empresário Paulo Marinho, que emprestou a casa para Jair Bolsonaro gravar programas para a campanha em rádio e TV, desfez o mistério do vazamento da PF que adiou a divulgação da Operação Furna da Onça para não prejudicá-lo no segundo turno e avisou sobre relatório do Coaf com transações financeiras de seu amigão do peito Fabrício Queiroz, assessor do filho Flávio na Alerj. A história é verossímil, tem testemunhas e corresponde aos fatos rigorosamente. Se for investigada como deverá ser, exporá o pai presidente e o primogênito senador a processos judiciais que podem levar ao impeachment de ambos. Além disso, como pe a pedra que faltava no quebra-cabeças, revela por que o chefe do governo fazia tanta questão de ter homem de confiana na PF do Rio, “meu Estado”. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.