Estupidez covarde e desnecessária

Estupidez covarde e desnecessária

Recuar no combate à corrupção em troca da boa vontade do Congresso para aprovar reforma da Previdência é condição imoral que sociedade honesta e sedenta de Justiça não tem condições de aceitar

José Nêumanne

28 de março de 2019 | 06h59

Oferecer cabeça de Moro em para facilitar aprovação da “nova Providência” é uma estupidez covarde e desnecessária. Foto: Ernesto Rodrigues/Estadão

A reforma da Previdência é urgente e não é uma pauta do governo ou do Congresso, mas da Nação, pois é fundamental para dar início à recuperação econômica para acabar com o desemprego. Mas fazer um pacto com parlamentares para abandonar o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, para aprová-la, não atende à cidadania. O combate à corrupção é mais urgente: investigar, processar e punir os ladrões da política para higienizar a próxima legislatura é a prioridade zero já. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quinta-feira 28 de março de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.