Esmolinha de bilhões

Esmolinha de bilhões

Governo deve leilão honesto de patrimônio das teles, em vez denão lhes doar R$ 120 bilhóes

José Nêumanne

08 de fevereiro de 2017 | 11h17

Trio Kassab, Temer e Skaf a caminho da urna Foto: Vitor Sorano/AG (5/10/2014)

Trio Kassab, Temer e Skaf rumo à urna Foto: Vitor Sorano/AG (5/10/2014)

A lei que agora Kassab, que foi ministro de Dilma, quer modificar já tinha merecido a denominação de Telezoca, por lembrar a famigerada Lei Terezoca, assinada por Getúlio Vargas exclusivamente para permitir que o barão da comunicação Assis Chateaubriand pudesse assumir o pátrio poder sobre uma filha fora do casamento, Tereza Acuña.

O caso atual, contudo, parece ter solução mais simples. Por que, em vez de aprovar uma lei-relâmpago na calada da noite, o governo não leiloa as concessionárias que não conseguirem cumprir seus contratos?

Estes são os dois últimos parágrafos de meu artigo Um leilão honesto, em vez de uma lei suspeita, publicado na página 2 (Opinião) do Estadão de quarta-feira 8 de fevereiro de 2017.

Para ler a íntegra clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.