As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em100 dias fiel ao filho

Em 100 dias no governo, Bolsonaro cedeu contrariado aos cafés com jornalistas e apoiou reforma da Previdência e pacote anticrime, mas se empenhou mesmo em atender a fiéis das redes comandados pelo filho Carlos

José Nêumanne

10 de abril de 2019 | 07h00

Flávio é senador, Eduardo, deputado federal e Carlos vereador no Rio, mas a ele o pai Jair atribui a própria vitória eleitoral à Presidência. Foto: Flickr/Bolsonaro

A marca dos primeiros 100 dias do governo Bolsonaro é a fidelidade absoluta que ele mantém ao filho Carlos, para ele o artífice de sua vitória eleitoral por ter dirigido a campanha nas redes sociais, a cujos seguidores corresponde com o cumprimento de promessas feitas em posts de Twitter e lives em Facebook. Embora ceda a contragosto a cafés da manhã com jornalistas e apoio à reforma tributária e ao pacote anticrime, ele mantém a cruzada contra o nazismo de esquerda, o combate ás multas e à fraude nas pesquisas e nas urnas. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quarta-feira 10 de abril de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player