Em plena barbárie

Em plena barbárie

Em pleno século 21, Brasil repete exibição de cabeças cortadas de cangaceiros, em 1938

José Nêumanne

04 de janeiro de 2017 | 10h02

Cabeças de cangaceiros expostas em 1938

Cabeças de cangaceiros, expostas em 1938

Cenas nos perfis sociais mostrando cabeças decepadas e corpos desmembrados denunciam a barbárie vigente no Brasil em pleno século 21, com a repetição da exibição das cabeças dos cangaceiros de Lampião e Corisco exibidas no Museu Estácio de Lima, em Salvador, em 1938. Mais grave é haver gente, como o presidenciável tucano Geraldo Alckmin, que imagina que o massacre está limitado pelos muros do presídio de Manaus, como se a violência nele perpetrada não se reproduzisse nas ruas, vitimando cidadãos inocentes à mercê do crime organizado que usa os presídios como QGs de sua guerra pelo controle do tráfico de drogas, do contrabando de armas e de sua desumanidade sem nenhum controle.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quarta-feira 4 de desembro de 2017, às 7h12m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.