Eleição em conta

Eleição em conta

Em pleitos baratos candidatos podem fazer propostas em vez de apostar em marketing caro

José Nêumanne

17 de outubro de 2016 | 19h08

 

Doria vence no maior colégio eleitoral do País, Foto/F.Diorio/Estadão

Doria vence no maior colégio eleitoral do País Foto/F.Diorio/Estadão

O TCU comparou as prestações de conta dos candidatos às recentes eleições municipais e as comparou com dados de bancos de órgãos federais para constatar que dos gastos totais no pleito, R$ 2,127 bilhões, mais da metade, R$ 1,41 bilhão, foi bancada por doações irregulares. De acordo com o trabalho, 240 mortos doaram e, entre os vivos, um beneficiário do Bolsa Família doou R$ 75 milhões. Em vez de fazer publicidade nos meios da comunicação, o TSE deveria fiscalizar melhor esta questão para evitar irregularidades do tempo. Mas convém comemorar o baixo custo do último pleito municipal, sem doações empresariais, em vez de criticar essas circunstâncias.

(Comentário no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 –na segunda-feira 17 de outubro de 2016, às 7h10m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.