Edilson: Bolsonaro celebra a milícia

Edilson: Bolsonaro celebra a milícia

Jornalista assegura que milícias cariocas, que hoje atuam no Brasil inteiro, constitui um Estado autoritário privado, que recorre à pena de morte, proibida no Brasil, e é celebrada pelo presidente

José Nêumanne

16 de maio de 2021 | 21h38

1 – Protagonista da série #doisdedosdeprosa desta semana, o jornalista #edilsonmartins revelou que #jairbolsonaro teve 70% dos votos na #baixadafluminense, controlada por #milicianos, que compõem um #estadototalitario com prerrogativa da eliminação física, não permitida pela lei. 2 – As #milícias nos subúrbios do #riodejaneiro, constituídas por #pms, #expms, #policiaiscivis #expoliciaiscivis, #bombeiros e #exbombeiros, desde a primeira, em #riodaspedras, elegem e seus líderes são eleitos, constituindo-se hoje uma extensão dos poderes #executivo e #legislativo e com influência no #judiciario. 3 – Para o entrevistado, #mariellefranco foi assassinada por milicianos, porque ela foi considerada muito “abusada/’, porque as milícias são misógenas e também como um recado a #marcelofreixo, que, milagrosamente, está vivo, mas não pode perder uma eleição. #joseneumannepinto. #diretoaoassunto. Inté. E só a verdade salvará nossas vidas.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.