E a bela queria a fera
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E a bela queria a fera

Retrospectiva do poeta e cineasta Jean Cocteau chega ao CCBB no centro velho de São Paulo. É pra ver.

José Nêumanne

02 Março 2017 | 16h57

Cena do filme A Bela e a Fera, de Jean Cocteau, a ser exibido do CCBB em São Paulo

Cena do filme A Bela e a Fera, de Jean Cocteau, a ser exibido do CCBB no centro de São Paulo

Aberto na quarta-feira de cinzas, o evento Jean Cocteau – O Testamento do Poeta vai até 26 de março no Centro Cultural Banco do Brasil. Mestre Luiz Carlos Merten, meu guru em matéria de cinema, contou no Caderno 2 do Estadão a lenda segundo a qual “Greta Garbo foi convidada pelo dublê de poeta e cineasta francês para assistir à sua versão do conto de Madame Leprince Beaumont, A Bela e a Fera. O ano era 1946, Garbo abandonara o cinema em 1941, mas seguia sendo a esfinge. Na tela, a fera é tão magnética que, quando se transforma em Jean Marais, produz certo desapontamento. “Give me back my beast”, devolva-me a minha fera, teria dito Garbo a Cocteau”. Esta não é boa?

(Comentário no Direto da Moviola no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quinta-feira 2 de março de 2017, às 7h56m) O comentário entra no minuto 2:20 do comentário da rádio)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site Estação Nêumanne, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

O poeta e cineasta francês Jean Cocteau

O poeta e cineasta francês Jean Cocteau

A bela e enigmática atriz sueca de Hollywood Greta Garbo

A bela e enigmática atriz sueca de Hollywood Greta Garbo