As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Doidos mandam na Educação

Ala dita "ideológica" nomeou e demitiu Vélez, virou viúva de Weintraub, não avalizou vigarices de Decotelli e abateu Feder antes da posse, comprovando deter o controle remoto do Ministério da Educação

José Nêumanne

07 de julho de 2020 | 20h25

O primeiro dos quatro ministros da Educação no governo Bolsonaro deu vexame na Câmara, mas caiu mesmo porque entrou na lista de execuções sumárias do gabinete do ódio. Foto: Dida Sampaio/Estadão

A negativa do secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, ao convite do presidente Jair Bolsonaro para ser o quarto ministro da Educação com 18 meses de governo, é mais uma estação da via crucis da mais importante pasta do governo federal num dos assuntos em que o País é mais carente. Sob o domínio de um bando de lunáticos (definição de Rodrigo Maia) que transitam de Virginia (EUA), Rio e Brasília, o chefe do Executivo atua como um moleque de recados começando por nomear e depois demitir o colombiano Vélez Rodríguez, por ter este desagradado seus padrinhos birrentos. Completa inabilitação de Abraham Weintraub tornou inevitável sua substituição pelo vigarista Carlos Alberto Decotelli, que flagrado em deslizes, deu a vez ao que declinou da falsa honra.

Assuntos para comentário da terça-feira 7 de julho de 2020:

1 – Haisem – O que terá levado o secretário de Educação do Estado do Paraná, Renato Feder, a recusar convite do presidente Jair Bolsonaro para ser ministro da Educação

2 – Carolina – O que chamou sua atenção na divulgação de que Jair Bolsonaro testou para a covid 19 e logo tomou cloroquina

3 – Haisem – O que você acha do estudo na Alemanha de que máscaras reduzem em 40% os casos de covid 19

4 – Carolina – O que você achou da carteirada da mulher em ação de fiscalização de isolamento social em bar do Rio e sua demissão da empresa onde trabalhava no dia seguinte

5 – Haisem – Que explicações podem ser dadas para a constatação de que, no governo de Jair Bolsonaro, o maior contrato de ex-mulher de Frederick Wassef subiu 3 vezes

6 – Carolina – Que caso de corrupção você analisa em seu artigo semanal no Blog do Nêumanne, publicado no Portal do Estadão desde ontem, sob o título Os brutos também furtam


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: