Dodge no acordão

Dodge no acordão

Procuradores da Lava Jato da PGR pediram demissão em protesto contra decisão pela chefe do irmão de Toffoli e de Rodrigo Maia da delação da OAS

José Nêumanne

05 de setembro de 2019 | 13h44

Após ter sido apoiada por Toffoli e Maia para ficar na PGR, Dodge recomendou excluir segundo e irmão do primeiro da delação de Leo Pinheiro. Foto: Nelson Júnior/STF SCO

A notícia estourou como uma bomba na quarta-feira 4 de setembro de 2019: os membros da Operação Lava Jato na PGR renunciaram à força-tarefa em protesto contra a decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de ter segurado processo de homologação da delação de Léo Pinheiro, da OAS. E agora, quando o liberou, recomendou-o ao STF, mas sugeriu ao relator, Edson Fachin, que omitisse citações de Rodrigo Maia e de um irmão de Dias Toffoli. Procuradores concluíram que isso faz parte do acordão e a evidência é que os presidentes da Câmara e do STF patrocinaram sua pretensão de ficar na PGR.
Assuntos para comentário da quinta-feira 5 de setembro de 2019

1, Haisem – A bomba da quarta-feira foi o pedido de demissão do grupo de procuradores da PGR na Lava Jato, revoltada com decisão tomada pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Que revelações traz e que conseqüências trará essa decisão ao combate à corrupção no Brasil

2, Carolina – O que está por trás da decisão tomada pelo Senado ontem de derrubar PEC do senador Oriovisto Guimarães tentando limitar o excesso de decisões monocráticas e a falta de prazo para entregar vistas pedidas em julgamentos pelos membros do Supremo Tribunal Federal

3, Haisem – Em manchete de primeira página, o Estadão noticia hoje que na Polícia Federal já se dá como favas contadas a demissão do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado pelo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro. Que desfecho se pode esperar para mais esta crise na cúpula federal

4, Carolina – Quais serão, de acordo com suas informações e conhecimento desse tipo de crise, as conseqüências do atual entrevero entre Bolsonaro e Moro

5, Haisem – Chile repudia ataque de Bolsonaro a Bachelet, diz título do alto da primeira página do Estadão. Que efeitos pode produzir a metralhadora giratória do presidente Jair Bolsonaro desta vez mirando a ex-presidente socialista do Chile

SONORA_PINERA 0509

 6, Carolina – O que nas acusações feitas ao ex-ministro da Fazenda por nove anos nos governos Lula e Dilma poderia ter comovido o ministro do STF Gilmar Mendes a ponto de tirá-lo das garras da Lava Jato ao transferir sua ação em Curitiba para a Justiça Federal em Brasília

 7 – Haisem – Qual sua impressão sobre o relatório do senador Tasso Jereissati, do PSDB, da reforma da Previdência, aprovado ontem na CCJ do Senado

SONORA_ALCOLUMBRE 0509

 8 – Carolina – (trilha sonora do spoiler)

Qual será o tema do seu spoiler desta quarta feira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.