Dirceu: o fim de um escárnio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dirceu: o fim de um escárnio

Condenado a 39 anos e 7 meses com soma da segunda pena por corrupção e lavagem de dinheiro, ex-faz tudo de Lula teve seu ano sabático concedido pelo trio Toffoli, Mendes e Lewandowski interrompido pelo TRF 4

José Nêumanne

17 de maio de 2019 | 11h35

TRF 4 pôs fim à folga dada a seu ex-patrão no PT, José Dirceu, pelo advogadinho do PT, hoje presidente do STF, Dias Toffoli. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O TRF 4 pôs fim à folga dada a José Dirceu por seu advogadinho de plantão no STF, Dias Toffoli, e mandou ofício para juiz Luiz Antônio Monat, substituto de Sérgio Moro na 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, executar o início do cumprimento de pena ao condená-lo pela segunda vez, somando aos 30 anos e 9 meses da anterior mais 8 anos e 10 meses agora (ao todo 39 anos e 7 meses). A liberdade que o ladrão e lavador de dinheiro gozou desde que foi mimoseado com um alvará de soltura pelo atual presidente do STF, definitivamente desmoralizado com esta iniciativa estapafúrdia, confirmada pelos reincidentes Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, da Segunda Turma do STF, ficou sendo até o fim da regalia um escárnio para todo brasileiro honesto, a quem foi negado a igualdade de todos perante a lei.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da sexta-feira 17 de maio de 2019

1 – Haisem – Está na primeira página do Estadão “TRF nega recurso e juiz manda prender Dirceu”. Qual é a grande novidade que há no fato de que, enfim, o multicondenado José Dirceu voltará para a cadeia ao se entregar hoje à polícia por determinação do TRF 4 e ordem de prisão dada pelo juiz que substituiu Sérgio Moro na 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba

2 – Carolina – Em que mudam os planos para o futuro que a defesa de Lula está fazendo para seu cliente com o envio de sua segunda condenação pela juíza-substituta Gabriela Hardt agora pelo substituto definitivo Luiz Antônio Bonat ao TRF 4

3 – Haisem – A manchete do Estadão hoje é “Venham para cima de mim. Não vão me pegar”, diz Bolsonaro. Por que o senador Flávio e seu pai, o presidente se manifestam com tanta indignação a respeito do Ministério Público do Rio de Janeiro que investiga indícios de organização criminosa na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro

SONORA_BOLSONARO INVESTIGACOES

4 – Carolina – Você se considera satisfeito com a explicação dada pela defesa do desaparecido Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, de que o cliente ainda não apareceu para prestar esclarecimentos ao Ministério Público porque precisa cuidar mda saúde

5 – Haisem – Que explicações pode haver para a velocíssima rotatividade na troca de presidentes do Inep, órgão público que tem a grave responsabilidade de cuidar do Enem, como mostra saída de Elmer Vicenzi

SONORA_PRESIDENTE ANDIFES 1705

6 – Carolina – Você, afinal, ficou satisfeito com a decisão final do TRF 2 do processo que já dura 12 anos contra 22 chefões do jogo do bicho do Rio de Janeiro, incluindo estrelas do carnaval carioca como Anísio Abraão Davi, da Beija Flor, e o capitão Guimarães, ex-presidente da Liga das escolas de samba, reduzindo as penas de 47 anos para 26

7 – Haisem – E o que você me diz de outra decisão importante do TRF 4 ontem ao mandar prender o pecuarista José Carlos Bumlai, que freqüentava com um crachá especial com licença para perambular pelo Palácio do Planalto no governo de Lula

8 – Carolina – O que de especial há em sua entrevista semanal no blog com o dicionarista e jornallista pernambucano Fred Navarro

 

Tendências: