Dimas & Covas põem Coronavac sob suspeita

O diretor do Instituto Butantan e o governador de São Paulo pisaram na bola ao atrasarem divulgação daeficácia global da Coronavac, vacina produzida em parceria com laboratório Sinovac chinês

José Nêumanne

13 de janeiro de 2021 | 22h10

 

Erro de comunicação da dupla Dimas & Covas põe na berlinda eficácia da Coronavac, fabricada no Brasil por Butantã e Sinovac. Foto: Gabriela Biló/Estadão

1 – O passivo omisso Pazuello disse em Manaus, epicentro da pandemia, que vacinação começará no dia D e na hora H. A piada infame vale para fixar o momento de Bolsonaro cair forar: é já. 2 – Barroso divulgou auditoria do TSE, que o presidente paraquedista diz não haver, comprovando a lisura do processo eleitoral. 3 – Um recorte do JB de 1994 revela que o capitão de milícias entende de fraude eleitoral na prática, pois cometeu uma em eleição parlamentar de voto impresso. 4 – Apesar da mancada da Dimas e Doria, saiu a eficácia global da Coronavac, pondo fim às desculpas da Anvisa para não aprová-la. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.