Diário da crise – 10 de setembro de 2018 – A Caixa de Pandora do PT
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário da crise – 10 de setembro de 2018 – A Caixa de Pandora do PT

Haddad não tem escondido na campanha que faz como estepe e poste de Lula que o PT perseguirá adversários e agentes da lei que, segundo sua narrativa insistente de retaliação, perseguiram partido e seu líder máximo

José Nêumanne

10 Setembro 2018 | 07h20

Seja com Haddad, seja com Lula, PT perseguirá adversários como inimigos no poder. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

No post publicado aqui no Blog do Nêumanne, contendo minha participação no programa da TV Estadão às 5 sob o título Prostituição, fraude e sabotagem, comentei o esforço atual para fechar a Caixa de Pandora, aberta pelos náufragos do mensalão, que levou à delação em massa dos operadores do petrolão.
O perigo ronda. O Estado é vingativo. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e eu pensamos assim. Temos várias amostras dessa retaliação. Quando a Dilma, poste de Lula, ainda estava no poder, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) espionou o juiz Sergio Moro e o citado ministro Barroso, relator das impugnações à candidatura de Lula do PT no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Em áudio interceptado e divulgado em 2016, Lula disse com todas as letras que os deputados do PT precisam “achincalhar” o juiz Sergio Moro e a equipe da Operação Lava Jato, porque, segundo ele, “eles têm de ter medo e preocupação”.
Outros fatos também foram notórios da retaliação do governo petista. O ministro Joaquim Barbosa, relator do Mensalão e ex-presidente do STF, antecipou sua saída da Corte por causa das ameaças e das agressões sofridas pela internet e em lugares públicos.
Michel Temer também não deixou essa peteca de retaliação cair. Colocou a Abin para investigar o Ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, responsável por homologar a delação premiada dos Batistas do grupo J&F. Segundo reportagem da revista Veja, o governo acionou a Abin para encontrar qualquer detalhe que pudesse fragilizar a posição de Fachin na Lava Jato.
O governo de Temer também colocou todo o aparato do Estado contra os Batistas, ensejando a frase do Barroso.
Diante desses fatos, se Fernando Haddad, estepe e poste do Lula vencer as eleições, Moro e a turma do MPF de Curitiba correm risco de serem até presos. E o PT não precisa de motivos para prender. Eles inventam. O PT é famoso por derrubar reputações. Criam falsas notícias e repetem cansativamente até virarem verdades, no conhecido estilo Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda de Hitler.
Recentemente, Fernando Haddad, oficialmente vice de Lula, e de fato seu estepe e poste, vem atacando o Lava Jato. Haddad afirma que “milhões de empregos foram perdidos desnecessariamente”. Como assim, Haddad? O desemprego está no nível que está pela lambança dos governos do PT e principalmente pelo governo de Dilma Rousseff.
Lula foi condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro e os petistas e com ele à frente repetem incansavelmente que foi golpe. Em artigo publicado no The New York Times o ex escreveu que sua prisão foi “a ultima fase de um golpe em câmara lenta”. Ahhh, e sem falar que o impeachment da Dilma também foi um golpe.
O PT vai fechar a Caixa de Pandora aberta e passar por cima dos que julgam que os atacaram. É só deixar que eles voltem ao poder.