Desembargador lamenta fim da Lava Jato

Desembargador lamenta fim da Lava Jato

De Sanctis, que condenou réus da Castelo de Areia, denuncia o retrocesso promovido pelos suspeitos dos três Poderes na legislação anticorrupção, execrável exemplo do Brasil para o mundo

José Nêumanne

10 de janeiro de 2021 | 11h45

O desembargador paulista Fausto De Sanctis, que, na primeira instância, condenou os corruptos do clube das empreiteiras em São Paulo na Operação Castelo de Areia, interrompida no STJ, lamentou a extinção das operações de combate à corrupção, como Lava Jato de Curitiba e do Rio e Greenfield de Brasília. Na série Nêumanne Entrevista, o especialista em lavagem de dinheiro denunciou o retrocesso provocado pelos Poderes Executivo e Legislativo e pela cúpula do Judiciário que torna o Brasil um péssimo exemplo no mundo inteiro pela demolição constante e corrosiva com que o governo Bolsonaro, o Congresso Nacional e os altos tribunais do Judiciário, e com a ajuda do MPF, tornam leis que de fato puniram criminosos do colarinho branco autênticos valhacoutos em que bandidos poderosos se refugiam. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.