Desafio fatal

Desafio fatal

Assassinos de candidatos interferem nas urnas e prejudicam a higidez da democracia

José Nêumanne

30 de setembro de 2016 | 16h56

Zé Gomes e Zé Elinton na carreata

Zé Gomes e Zé Elinton na carreata

Atentado contra ex-prefeito de Itumbiara José Gomes da Rocha, no qual também foi ferido o governador em exercício de Goiás, José Eliton, é mais uma pedra do mosaico da violência ancestral nas disputas políticas no Brasil desde tempos imemoriais, mas não deixa de ser uma comprovação letal da incompetência do Estado brasileiro em garantir ao cidadão o direito de votar livremente e sem que seja submetido a constrangimentos desse tipo. A violência não deixa de ser uma forma de constrangimento, que interfere na manifestação da soberana vontade popular em pleitos nos quais o risco de morte é uma maneira do crime organizado de desafiar o império da lei na democracia.

(Comentário no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quinta-feira 29 de setembro de 2016, às 17h35m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.