Democracia, refúgio de corruptos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Democracia, refúgio de corruptos

Na despedida de Dodge em sessão do STF, Celso e procuradora apelaram para salvarem democracia, que não corre risco nenhum, mas está servindo de refúgio para canalhas corruptos que se escondem sob togas

José Nêumanne

13 de setembro de 2019 | 16h53

Mello despediu-se de Dodge em sessão presidida por Toffoli apelando pela salvação da democracia, que não corre risco nenhum no momento, pura hipocrisia. Foto: Nelson Jr/SCO/STF

No século 18, Samuel Johnson escreveu que “o patriotismo é o último refúgio de um canalha”. No século 21, nos está sendo revelado a cada dia que democracia fica muito próxima de demagogia e rima com hipocrisia. Isso explica a CPI da Lava Jato na Câmara, os esforços para não instalar a CPI do Lava Toga no Senado e os discursos nojentos de Raquel Dodge e Celso de Mello na despedida dela como procuradora-geral da República numa sessão do STF presidida por Dias Toffoli, cujo irmão ela tentou poupar no despacho ao relator da Lava Jato, Edson Fachin, a quem ela recomendou que protegesse os dois padrinhos de sua eventual permanência na PGR: além dele, o presidente da Câmara, Rodrigo Botafogo Maia. Parodiando Johnson, a democracia é o refúgio do corrupto. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Tendências: