Democracia derrotada

Democracia derrotada

Decisão da justiça eleitoral prejudica os réus, a própria justiça e, principalmente, o Estado de direito

José Nêumanne

05 de abril de 2017 | 13h14

Perdão do TSE à maior fraude eleitoral da História o deixa muito mal Foto: Dida Sampaio/Estadão

Complacência do TSE com a maior fraude eleitoral da História o deixa muito mal Foto: Dida Sampaio/Estadão

A decisão do TSE de ouvir mais quatro testemunhas e empurrar com a barriga a decisão de punir a maior fraude eleitoral de todos os tempos na História, cometida na reeleição de Dilma e Temer, em 2014, põe em questão se vale a pena, ou não, comprometer a democracia para investir numa duvidosa recuperação da crise e numa incerta manutenção do apoio parlamentar do atual governo. Na minha opinião, não vale. Embora respeite a opinião de quem discorde, argumento que a Justiça, os réus e a Nação perdem com ela. E a democracia se compromete com esse casuísmo, que nos remete aos tempos da ditadura militar, que vivia desse tipo de improviso malsão, pelo visto uma sina do povo brasileiro.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FN 107,3 – na quarta-feira 5 de abril de 2017, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play do site Estação Nêumanne

Para ouvir Que país é esse com Legião Urbana clique aqui

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.