Deixa Fernández pra lá, Bolsonaro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Deixa Fernández pra lá, Bolsonaro

Adesão de Fernández, presidente eleito da Argentina, a "Lula livre" é tentativa de disfarçar barra suja da vice, Cristina Kirchener, e merece desprezo, ao contrário de nosso maior parceiro regional

José Nêumanne

28 de outubro de 2019 | 20h29

Fernández cumprimenta com o “ele” de Lula livre o petista em seu aniversário em benefício dos peronistgas suspeitos, como sua vice. Foto: Alberto Fernández/Twitter

Ninguém sabe se Alberto Fernández, que ganhou a eleição presidencial na Argentina, é poste de Cristina Kirchener, sua vice, ou se ela é o poste que o ilumina. Ambos são peronistas, que afundam o país há 73 anos, desde que Perón assumiu o poder, e representam o “eterno retorno” do peronismo. Se ele faz o L do Lula livre, está só tentando clarear a barra suja da companheira de chapa. E, assim, não ofende Bolsonaro, mas o Estado de Direito e o Brasil. A resposta de nosso presidente deveria esquecer a dupla e cuidar bem de nossa relação com a pátria dos hermanos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: