De Paulinho Gasolina a Paulinho do Lula
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De Paulinho Gasolina a Paulinho do Lula

A falta de espírito público dos homens públicos brasileiros é assustadora

José Nêumanne

01 de junho de 2016 | 18h47

Renan: fiel e desleal a todos

Renan: fiel e desleal a todos

Terça-feira, 31 de maio de 2016 – 18 horas

Hoje li a notícia de que começa a preocupar a eventual fuga de alguns dos senadores que votaram pelo afastamento de Dilma e agora ameaçam votar por sua volta. A falta de espírito público dessa gente é assustadora. A forma abjeta com que líderes do governo e da oposição cortejam Renan Calheiros, cuja biografia de arrecadador de propinas começa com PC Farias, o Paulinho Gasolina, da “república de Alagoas”, e termina com o petrolão de Paulo Roberto Costa, o Paulinho do Lula, não o recomenda nem para porteiro do Senado. No entanto, lá está ele encarapitado no torre do alto poder republicano, a nomear sabotadores da Lava Jato no governo Temer e tentando negar com uma conversa mole de que não indica ninguém, porque é contra essa promiscuidade de Poderes… Asco total, náusea absoluta! Mas também o que dizer da indignação geral nos EUA por ter a administração de um Zoológico matado um gorila para salvar a vida de uma criança, cuja vida o animal ameaçava? Será que o gênero humano destrambelhou de vez? Já que Joca Leite, comerciante do Mercado da Prata em Campina Grande, está morto, lançarei a candidatura de Waldir Maranhão para feitor do sanatório geral do planeta. Vambora pra Marte, que pelo menos lá a loucura não deve ser a norma.

O jeito que tem é adquirir e armazenar muita força nesta terça para vomitar e permanecer de pé, sem fé, mas no aguardo da sorte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: