Dane-se o eleitor!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dane-se o eleitor!

Defesa de Lula consegue empurrar decisão definitiva sobre inelegibilidade do cliente, condenado em segunda instância, para o meio da campanha só para confundir e desinformar eleitor

José Nêumanne

20 Agosto 2018 | 17h11

Em campanha para governador Wellington Dias, Haddad assume chapa triplex com Lula e Manuela. Fotos: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Apesar de não ter conseguido transferir o relatório sobre os pedidos de impugnação da candidatura de Lula do PT à Presidência da República do sorteado Luís Roberto Barroso para Admar Gonzaga, que julgava outros quatro, pois a presidente do TSE, Rosa Weber, deixou mesmo todos os casos com o colega do STF, sua defesa pelo menos obteve do encarregado o compromisso de cumprimento de todos os prazos. Só isso empurra o julgamento definitivo no TSE para plena campanha eleitoral, o que provocará confusão jurídica e informação desencontrada, o que não atende ao direito do cidadão de ser informado com clareza sobre em que candidatos poderá votar. Ou seja, para o PT, dane-se o eleitor!

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na segunda-feira 20 de agosto de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Abaixo, os assuntos do comentário da segunda-feira 20 de agosto de 2018

 

1 – Haisem – Algum dos sete pedidos de impugnação da candidatura de Lula à Presidência da República que estão para ser relatados pelo ministro Luis Roberto Barroso no Tribunal Superior Eleitoral tem chance de sucesso antes que essa candidatura se imponha como fato consumado?

 

2 – Carolina – O Estado brasileiro corre algum risco de punição pela Organização das Nações Unidas se não cumprir o que se divulgou de permitir que o ex-presidente petista concorra mais uma vez à eleição presidencial em outubro próximo?

 

3 – Haisem – Que influência ainda tem o ex-deputado Eduardo Cunha de influir, como parece pretender, na eleição presidencial, seja quando apóia que Lula seja libertado para “derrotá-lo nas urnas”, seja ao se dizer alinhado à campanha de Henrique Meirelles, daquele que, por sinal, ainda é seu partido, o MDB?

 

4 – Carolina – Por que até agora nos debates entre candidatos à Presidência da República na televisão a responsabilidade de Lula, do PT, de seus aliados e até da oposição omissa e conivente pelo maior escândalo de corrupção da História não é debatida como deveria sê-lo para que o eleitorado seja informado desse fato histórico de alta relevância para todos?

 

5 – Haisem – Quando decidiram por 7 a 4 propor reajuste para seus próprios vencimentos em 16%, os ministros do Supremo Tribunal Federal, que inspiraram a mesma iniciativa também tomada pelo Ministério Público Federal, não tinham consciência de que a providência é ilegal porque eleva despesas além do teto, como aponta parecer da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados, publicado ontem no Estadão?

 

6 – Carolina – Não seria o caso de os ministros do Supremo Tribunal Federal que ainda têm juízo e vergonha prestarem atenção e levarem a sério a advertência feita pelo ex-ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega dos terríveis efeitos deletérios, inclusive retroativos, da liminar que o colega deles Ricardo Lewandowski deu sobre a privatização de estatais e suas conseqüências em nossas desastrosas contas públicas?

 

7 – Haisem – Levantamento feito pelo Estadão resultou na reportagem que resultou chamada no alto da primeira página de hoje dando conta que “desequilíbrio entre Estados aumenta no Congresso”. Quais são os efeitos indesejáveis que, na sua opinião, essa constatação produz na nossa democracia à brasileira?

 

8 – Carolina – Qual foi a notícia cultural que mais lhe chamou a atenção no noticiário cultural do Estadão neste fim de semana?