Curto, simples e assertivo

Curto, simples e assertivo

Após bom discurso, em que reafirmou compromissos de campanha, Bolsonaro cancelou pronunciamento à imprensa mundial, passando impressão de que ainda não é o presidente de todos os brasileiros

José Nêumanne

23 de janeiro de 2019 | 18h16

Bolsonaro com presidente da Suíça, Ueli Maurer, em reunião bilateral realizada durante Fórum Econômico Mundial, em Davos. Foto: Alan Santos/PR

Discurso de Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial em Davos foi curto, simples e assertivo, como exigia a ocasião. Destaco sua observação de que o Brasil é o país que mais preserva a natureza no planeta, pois nenhum outro, entre os quais os ricos da Europa e da América do Norte, tem uma floresta tropical tão extensa como a nossa. E também a promessa de que abrirá nossa economia, que ainda é muito fechada, o que talvez tenha provocado preocupação a alguns empresários, e, com isso, motivado a queda da Bolsa. Por outro lado, ele não cumpriu a promessa de que seria presidente de todos os brasileiros ao faltar a compromisso agendado com a imprensa, uma descortesia sem justificativa. Este foi um dos comentários que fiz no Estadão às 5 da TV Estadão, ancorado por Gustavo Lopes no estúdio na redação do jornal e retransmitido por Youtube, Twitter e Facebook na quarta-feira 23 de janeiro de 2019, às 17 horas.

Para ver o vídeo no Youtube clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.