Cuide de nossa nau, capitão!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cuide de nossa nau, capitão!

Tirar Brasil da crise exigirá máximo de racionalidade e mínimo de simpatia de Bolsonaro e, para tanto, não deveria nomear aliados que lhe criam problemas nem afagar inimigos que não mereçam atenção

José Nêumanne

09 Novembro 2018 | 11h52

Prisão de Joesley pela PF é sinal de alerta para evitar que Bolsonaro nomeie Tereza Christina ministra da Agricultura. Foto: Willian Moreira/Futura

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, precisa evitar que o barco em que todos nós estamos venha a ser afundado pelo excesso de peso causado por alguns amigos inconvenientes ou por inimigos interessados no naufrágio. Apesar de ter acertado em muitas coisas, ele errará se nomear a deputada Tereza Christina, que fez negócios com Joesley Batista, preso ontem por mais uma falcatrua no próprio Ministério da Agricultura. O capitão da nau Brasil deveria seguir o general De Gaulle, que dizia que a maior virtude de um estadista é a ingratidão, para tratar da ambição de Magno Malta, por exemplo. Se gostar deste vídeo, por favor, dê um like, inscreva-se no meu canal no Youtube e acione o sininho para ser informado sobre os próximos que vier a gravar. Se se dispuser a tanto, poderá me ouvir no Jornal Eldorado, de segunda a sexta na Rádio Eldorado, FM 107,3 (eldorado@estadao.com.net), acompanhar o Estadão às 5 aqui mesmo no Youtube, seguir o Blog do Nêumanne no Portal do Estadão (https://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/) e visitar o site Estação Nêumanne (www.neumanne.com). Direto ao assunto, inté.

Para ouvir o vídeo no Youtube clique aqui

Citei a foto de Getúlio chegando ao Rio para tomar o poder em 1930 e, sete anos depois, instalar o regime fascista chamado de Estado Novo. Para não deixar ponto sem nó reproduzo a mesma foto, usada na reclamação dos que não querem ver Ministério do Trabalho, inspirado na Carta del Lavoro, de Benito Mussolini, ser extinto.

Getúlio chega ao Rio em 1930 para tomar o poder, sete anos antes de dar autogolpe para assumir Estado Novo fascista. (Foto Arquivo do Senado)