Cuba defende Lula na ONU

Cuba defende Lula na ONU

Presidente de Cuba denunciou "o encarceramento de Luís Inácio Lula da Silva com fins políticos", pondo-o na nefasta companhia da Nicarágua de Daniel Ortega e da Venezuela de Nicolás Maduro

José Nêumanne

27 de setembro de 2018 | 06h54

Na ONU cubano Díaz-Canel põe Lula na nefasta companhia de Ortega e Maduro. Foto: Bebeto Mathews/AP

Brasil apareceu duas vezes na Assembleia Geral da ONU em Nova York na terça e na quarta-feiras 25 e 26 de setembro. O presidente Michel Temer discursou pela última vez, cumprindo tradição que cabe ao presidente brasileiro. E uma das maiores atrações da reunião, o primeiro presidente cubano não pertencente ao clã Castro, estreou denunciando o País pelo “encarceramento com fins políticos do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva”. O herdeiro da brutal e longeva tirania caribenha deu aval politicamente correto de um regime que fuzilou adversários, perseguiu e torturou desafetos pôs seus compadres do PT em aliança na qual incluiu governos notoriamente antidemocráticos como os de Nicarágua e Venezuela. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quarta-feira 26 de setembro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.