Consultor atrapalhado

Consultor atrapalhado

Gafe do sócio da consultoria PWC entra na história do Oscar, mas como fica a empresa cujo acionista errou

José Nêumanne

28 de fevereiro de 2017 | 17h54

Trapalhada do sócio da consultoria PWC gerou confusão na entrega do Oscar Foto Mônica Almeida/The New York Times

Trapalhada do sócio da PWC gerou confusão na entrega do Oscar Foto Mônica Almeida/The New York Times

Trapalhada na cerimônia final do Oscar, com Warren Beatty e Faye Dunaway anunciando o vencedor de melhor filme errado, não se deveu a engano dos apresentadores, mas erro do auditor Brian Cullinan, acionista da empresa contratada para auditar a correção na entrega do prêmio, a Price Waterhouse Cooper, de reconhecida influência na advertência a investidores internacionais sobre a higidez financeira das economias dos países da Terra. Em vez de prestar atenção na cerimônia, o elemento estava tuitando fotos do espetáculo e enganou-se na entrega dos envelopes aos atores com os nomes dos premiados. A história do Oscar está marcada pela gafe. Que consequências trará para a consultoria, hein?

(Comentário no Direto da Tela do Estadão no Ar 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 –na terça-feira 28 de fevereiro de 2017, às 7h55m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site Estação Nêumanne, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.