Conluio para acudir Lula
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Conluio para acudir Lula

Dos sete ministros do STF indicados por presidentes do PT alguns ainda não tiveram coragem de soltar o ex, mas nenhum deles faltou ao apelo para impedir sua transferência para prisão de verdade e ainda tiveram três adesões

José Nêumanne

08 de agosto de 2019 | 19h31

Foto de Toffoli no STF com deputados dispensados por Maia da votação da reforma na Câmara é imagem perfeita  do “acordão”, da lavra do fotógrafo pessoal de Lula. Foto: Ricardo Stuckert

O desfile patético dos assustados, acusados, denunciados, processados e apenados da Operação Lava Jato indo a pé da Câmara dos Deputados para o TSE na mesma Praça dos Três Poderes, foi a mais óbvia demonstração da conspiração para desmantelar o combate à corrupção que pode atingi-los. Como resultado, os 11 ministros do STF se reuniram no plenário para em prazo relâmpago de nove horas impedirem a transferência do corrupto e lavador de dinheiro Lula da Silva do apartamento que ocupa na sede da Polícia Federal em Curitiba para uma prisão de verdade, o Presídio II de Tremembé, em São Paulo. Com isso ficou evidente que alguns dos sete ministros indicados por Lula e Dilma, do PT, podem evitar que o ex-presidente seja liberado do cumprimento da pena, como exige a esquerda, mas tem apoio unânime deles para não ter de viver no inferno prisional. O voto solitário de Marco Aurélio Mello, primo e indicado de Collor, tirou o zero, mas não evitou o preito de gratidão e desfaçatez dos votos deles mais os de Gilmar Mndes, Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Tudo o que sabemos sobre:

José Nêumanne PintoVídeo no YoutubeLula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: