Compra de vacina suspeita de crime

Possível maracutaia na compra resolvida rapidamente e com preço mais do que superfaturado, Bolsonaro pode sofrer impeachment como seu hoje fiel aliado Collor e sua ferrenha adversária Dilma

José Nêumanne

23 de junho de 2021 | 16h23

Ao marcar depoimentos dos irmãos Miranda, que dizem ter alertado Bolsonaro sobre maracutaia na compra de vacina indiana, CPI da Covid no Senado avança na caça à corrupção no desgtoverno. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O Ministério Público do Distrito Federal (MP/DF) enviou para a área criminal parte da investigação sobre a compra da vacina indiana Covaxin pelo desgoverno de Jair Bolsonaro. A procuradora Luciana Loureiro Oliveira viu cinco indícios de crime na contratação e apontou “interesses divorciados do interesse público”. O contrato de compra de 20 milhões de doses da Covaxin por R$ 1,6 bilhão já era alvo de um inquérito civil. Esse escândalo da vacina superfaturada é maior e mais grave do que a Fiat Elba que derrubou Collor e as pedaladas fiscais que levaram Dilma ao impeachment. A CPI da Covid no Senado resolveu entrar na parada e marcou para sexta-feira 25 depoimentos dos irmãos Luís Cláudio e Luís Ricardo Miranda, que contaram ter alertado Bolsonaro sobre a maracutaia. O caldo promete feder e engrossar.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

Assuntos para comentário na quarta-feira 23 de junho de 2022

1 – Haisem – Ministério Público Federal vê indício de crime em vacina com preço alto – Este é o título de chamada no alto da primeira página na edição impressa do Estadãoneste 22 de junho de 2022. Será que o escândalo do sobrepreço de 1.000% na compra da vacina indiana Covaxin pelo Brasil é escabroso a ponto de abalar o ânimo governista do procurador-geral da República

2 – Carolina – Só descontentes podem tornar Jair Jail – Este é o título de seu artigo na página 2 do jornal desta quarta-feira. O que o faz prever que “o inverno de nosso descontentamento” poderá, enfim, quebrar a reação monolítica de Arthur Lira de não por para votar o impeachment de Bolsonaro na Câmara dos Deputados, em que o Centrão manda e desmanda

3 – Haisem – O relator da comissão parlamentar de inquérito sobre a covid no Senado, Renan Calheiros, já avisou que denunciará Bolsonaro ao tribunal internacional de Haia. Você diria que a justiça internacional passou a ser uma opção para punir o desmazelo de governo no combate à pandemia

4 – Carolina – Detector de mentiras da imprensa, que  Bolsonaro chamou de “canalha”, pegou o deputado federal Osmar Terra, porta-voz oficioso do negacionismo bolsonarista, em 13 mentiras, todas cabeludas, na CPI da Covid no Senado em seu depoimento de ontem. E isso adianta de quê

5 – Haisem – Indústria faz lobby e Câmara articula limite a importados – Esta é a manchete da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. O que chama sua atenção em mais esse retrocesso patrocinado pelo governo dito liberal de Bolsonaro e Guedes e executado pelo dito Centrão no Legislativo

6 – Carolina – A perícia da Polícia Civil em Jacarezinho, palco da operação mais letal da história policial do Rio, concluiu que quatro dos 27 mortos pelas tropas de ocupação da comunidade levaram tiros pelas costas, negando a hipótese de confronto armado com traficantes. E agora. José?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.