Comédia bufa no Planalto

Comédia bufa no Planalto

Se mantiver Onyx Lorenzoni na chefia da Casa Civil, Bolsonaro correrá o risco de promover um espetáculo cômico de qualidade mambembe na eleição do Senado, que terá efeitos infernais na difícil relação com o Congresso

José Nêumanne

25 de janeiro de 2019 | 07h04

Ao tentar eleger um senador inexpressivo de seu partido, o DEM, Lorenzoni facilita pleito de Renan e cria problemas com Rodrigo. Foto: Dida Sampaio

O Palácio do Planalto está encenando uma comédia bufa na eleição do próximo presidente do Senado. O chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, recorreu aos préstimos do ainda deputado, mas que não se reelegeu, Leonardo Quintão (MDB-MG), para convencer Simone Tebet (MDB-MS) a desistir da candidatura dela pela bancada majoritária em benefício de Renan, garantindo-lhe que seria presidente na próxima legislatura. A senadora também detectou uma manobra sibilina do próprio alagoano da candidatura dela ser de fachada. A vida do governo Bolsonaro no Congresso não promete ser maravilhosa este ano, mas, se o presidente mantiver chefe da Casa Civil, vai ser um inferno ridículo. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar desde 6 horas da sexta-feira 25 de janeiro de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.