Com as calças na mão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com as calças na mão

Governo foi pego de surpresa com a dimensão do caos provocado pelo protesto dos caminhoneiros contra a alta diária dos preços dos combustíveis, agindo de forma atabalhoada, improvisada e inócua

José Nêumanne

24 Maio 2018 | 12h20

Flagrante do protesto na manhã de sexta 24 no km 280 da Régis Bitencourt, perto de Embu das Artes. Foto: Felipe Rau/Estadão

Parte relevante do que ocorre em decorrência do protesto de caminhoneiros contra a alta diária e imprevisível dos preços do diesel deve-se – segundo Marcelo de Moraes, do BR18 – à inércia do governo Temer, causada por absoluta e absurda falta de informação. Os bambambãs do Planalto imaginavam que só teriam de lidar com o controle político da gritadeira contra o aumento dos combustíveis e, apesar de terem enfrentado problema similar no fim do governo da ex-chefe Dilma, agiram atabalhoadamente e improvisaram no caos, como se habituaram a fazer para apagar o caos instalado pelo desabastecimento de gasolina, produtos perecíveis e até do esvaziamento dos tanques de querosene, o que bagunçou a aviação comercial no País.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quinta-feira 24 de maio de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir O Dia em que a Terra parou, com Raul Seixas, clique aqui

 

Abaixo, os assuntos do comentário da quinta-feira 24 de maio de 2018

 

1 – Haisem  A manchete do Estadão é a seguinte: “Petrobrás cede e reduz preço do diesel para conter greve”. O que mais pode fazer o governo Temer para paralisar o movimento de protesto contra os aumentos de combustíveis de petróleo pelos caminhoneiros, normalizando o fornecimento de combustível e alimentos, tumultuado pelas paralisações das rodovias?

SONORA_ELISEU PADILHA 2405

 

2 – Carolina A promessa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de restaurar algumas reonerações a empresas poderá facilitar a atuação do presidente nessa difícil negociação com os caminhoneiros?

SONORA_PARENTE 2405

 

3 – Haisem Por que a polícia mineira aceitou os termos de rendição do ex-governador Eduardo Azeredo, acenando-lhe com a decisão do juiz das execuções penais de Belo Horizonte, Luiz Carlos Rezende e Santos, que o liberou de usar algemas e uniforme de presidiário e autorizou o começo do cumprimento da execução de sua pena não numa prisão comum, mas num quartel da Polícia Militar em Belo Horizonte?

 

4 – Carolina O que inspirou o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Edson Fachin a autorizar os membros da comissão externa da Câmara dos Deputados a visitarem o presidiário mais famoso do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, contrariando a proibição decidida pela juíza de execuções penais de Curitiba, Carolina Lebbos?

 

5 – Haisem O que propiciará à História do Brasil a decisão do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região de Porto Alegre, conhecido como da Lava Jato, de negar embargos impetrados pelo ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, condenado a seis anos de reclusão?

 

6 – Carolina O que acontecerá com o currículo coroado de Henrique Meirelles depois de passar por essa campanha, na qual teve de aceitar Elsinho Mouco como marqueteiro para manter o apoio do ex-chefe Michel Temer?

 

7 – Haisem Que fichas o presidente do Senado, Eunício Oliveira, tem para desafiar o presidente da República e chefão do MDB, dizendo que do partido ninguém o tira com uma frase curta e grossa: não vou sair e ninguém me tira”?

 

8 – Carolina O que inspirou a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes de conceder habeas corpus a nove réus da Lava Jato, incluindo Hudson Braga, ex-secretário de Obras do Estado do Rio, e Carlos Miranda, que se proclamou companheiro do ex-governador Sérgio Cabral há 30 anos na roubalheira que envergonha o Rio de Janeiro?

 

SONORA Raul Seixas O dia em que a terra parou, Welington Freire

https://www.youtube.com/watch?v=9FwZWjCI02M