Cleptocracia partidária
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cleptocracia partidária

Maia e Alcolumbre mantêm cidadão distante das decisões do Legislativo, que em teoria tem dever constitucional de representá-lo, para instituir ditadura de líderes de bancadas a serviço dos chefões dos partidos

José Nêumanne

19 de setembro de 2019 | 13h46

Trabalhando de noite em casa e de dia no plenário para submeter cidadão a chefões partidários, Maia colhe aplausos de sua platéia próxima. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Foi votada às pressas uma lei que libera partidos a usar Caixa 2, pagar advogados com dinheiro público, anistiar multas por desaprovação de contas de campanha, aumentar o fundo destinado a financiar campanhas eleitorais, ressuscitar o tempo de propaganda política no rádio e na TV e outras ignomínias. Esta desfaçatez denuncia a falácia da democracia representativa, de que tanto se fala no Brasil, e instala em definitivo a cleptocracia dos chefões das organizações criminosas partidárias. A vontade destes é imposta em leis que não passam pelos plenários, mas por votações simbólicas por líderes das bancadas.
 
Assuntos para comentário da quinta-feira 19 de setembro de 2019

1 – Haisem – Câmara aprova lei que dá regalias a partidos – a notícia registrada neste título da chamada no alto da primeira página do Estadão encerra de vez este capítulo da novela da chamada minirreforma eleitoral aprovada na noite de ontem

SONORA_MAIA 1909

2 – Carolina – Petrobrás eleva o preço de Diesel e da gasolina – revela outro título de chamada na primeira página do Estadão de hoje. A que conclusão você chega sobre essa providência tomada após o ataque terrorista ao maior poço de petróleo do mundo na Arábia Saudita

3 – Haisem – Vamos a outra chamada também no alto da primeira no Estadão – Aliado de Moro, Valeixo continua na direção da PF. Qual é a importância desta notícia de um ato aparentemente rotineiro

4 – Carolina – Será que a morte por enquanto misteriosa do ex-presidente da Odebrecht Energia Henrique Valladares pode ter algo a ver com o fato de ele ter sido o delator que revelou propinas da empreiteira aos políticos Aécio Neves e Edison Lobão

5 – Haisem – O que pode estar por trás da ameaça do ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski de tomar decisões autocráticas sobre processos da Operação Lava Jato se demorar o agendamento de reuniões para resolvê-los na Segunda Turma e no plenário

6 – Carolina – O que autoriza outro ministro do STF, Alexandre de Moraes, a bater o martelo para destinar o dinheiro devolvido ao Brasil pelo roubo na Petrobrás para educação e combate a fogo e desmatamento na Amazônia

7 – Haisem – Que motivos você acha que a viúva de Marielle Franco, Mônica Benício, tem para classificar de “desrespeitoso” o parecer dado por Raquel Dodge em seu último dia como procuradora-geral da República para “federalizar” a investigação da execução da vereadora no Rio

8 – Carolina – Será que prospera a proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, de formar uma comissão de deputados federais e senadores para preparar uma proposta única com o governo para a reforma tributária

SONORA_ROBERTO ROCHA 1909

Tendências: