Cid passou todos os limites

Cid passou todos os limites

Irmão de Ciro cometeu truculência insana de tentar dissolver manifestação de PMs amotinados em sua cidade, Sobral, usando uma retroescavadeira, foi baleado e adotou pose de mártir do "fascismo" de Bolsonaro

José Nêumanne

21 de fevereiro de 2020 | 12h10

Baleado, Cid foi levado ao hospital de Sobral e seu irmão Ciro deu início à pregação do mártir do fascista Bolsonaro. Foto: Sobral 24 HS

O senador licenciado Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, eterno pretendente (felizmente sempre derrotado sem sequer disputar segundo turno) à Presidência da República, foi baleado quando numa retroescavadeira tentou invadir um quartel ocupado por policiais militares do Ceará amotinados, ameaçando atropelá-los numa tentativa de impor-lhes “otoridade”. Os celerados irmãos Ferreira Gomes estão habituados a abusar em episódios de autoritarismo brutal. Este arroubo de truculência foi além, expondoa trágica situação do Estado governado por eles em aliança com o PT do governador Camilo Santana. Os balaços que feriram, mas não mataram, o ex-governador cearense, encenam mais do que um faroeste de circo mambembe, demonstrando a situação de total insegurança em que os cidadãos do Ceará vivem à mercê do destempero desmedido dos coroneizinhos valentões da república furiosa e enlouquecida de Sobral. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.