Cavalo de Troia no Natal
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cavalo de Troia no Natal

Em pleno Natal, e com ajuda desonrosa do governo Temer, Congresso explode bombas de efeito mortal no orçamento da República antecipando reveillon em que Bolsonaro presidirá República

José Nêumanne

13 de dezembro de 2018 | 12h28

Caras de enterro de Maia e Eunício na diplomação de Bolsonaro dão a ideia do terrorismo orçamentário que se dispõem a praticar. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Sob a regência de Rodrigo Maia, o Papai Noel antecipado da Câmara dos Deputados espalha bombas no orçamento a ser executado no futuro governo, com Jair Bolsonaro eleito pela maioria dos votos válidos para presidir a República na mesma eleição em que a Câmara e o Senado passaram por renovações. No meio desses cavalos de Troia da velha política querendo tornar a mudança inviável para voltar a mandar e desmandar, há perdão de dívidas para estatais ocupadas, caso da Cemig, e concessão de verbas para entidades que não têm a menor relevância social, como Sudam, Sudene e Sudeco, distribuição de verbas com royalties de petróleo e elevação de subsídios de colegas a nível do STF.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quinta-feira 13 de dezembro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para o comentário de quinta-feira 13 de dezembro de 2018

 

1 – Como vai ser possível deter as pautas-bombas que explodem no Congresso e no governo Temer antes de o próximo governo assumir

SONORA RAMALHO

 

2 – O que pode ser revelado a partir da informação dada pelo Estado de São Paulo sobre a movimentação atípica do PM Patrício de Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro pelo Coaf

 

3 – Até que ponto afirmação de que, se for descoberta alguma coisa no caso do PM e motorista do filho, Bolsonaro diz que eles pagarão por isso resolve o incêndio criado em torno do caso

SONORA BOLSONARO 1312

 

4 – Que moral tem José Dirceu para dizer, em mais uma entrevista de petista à BBC Brasil, que Bolsonaro não tem mais moral nenhuma para criticar corrupção após revelação do caso do PM e motorista do filho

 

5 – Revelação do “rei dos ônibus” de que pagava mensalinho de 145 mil reais a Cabral em nada alterou as decisões monocráticas de soltura de Gilmar Mendes no escândalo de corrupção que abalou o Rio

 

6  – Notícia de que PF pediu para investigar esquema de financiamento pela J&F para campanha presidencial de Aécio e Marco Aurélio encaminhou parecer da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, antes da eleição de outubro pode comprometer mandato do tucano na Câmara

 

7 – Avalanche de denúncias de violência sexual contra João de Deus conviverá com a continuidade da movimentação dos peregrinos de Abadiânia, Goiás

 

8 – Existe alguma chance de ser verdadeira a acusação feita por Nicolás Maduro de que Brasil está associado a Trump em tentativa de intervir na Venezuela

 

Tendências: