As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Câmara longe do povo

Apontado como líder da vitória da reforma da Previdência, Maia acena com aumento de poder da Câmara como fórmula para recuperar prestígio popular, quando precisa fazer o contrário e representar cidadão como deveria

José Nêumanne

15 de julho de 2019 | 07h09

Maia, Botafogo na lista de propinas da Odebrecht, confunde bajulação de colegas e analistas com apoio popular a um Poder que não o representa. Foto: Luís Macedo/Agência Câmara

Muita gente andou enchendo exageradamente a bola do presidente da Câmara dos Deputados, atribuindo-lhe o sucesso da negociação para aprovação da reforma da Previdência. Iludido com essa fantasia de superlíder, ele passou o fim de semana dando a receita da recuperação do prestígio do Parlamento à condição de assumir suas prerrogativas. Ao contrário do que e seus áulicos imaginam, contudo, o que prejudica o prestígio popular do Legislativo é seu desprezo às demandas do povo, principalmente contra a corrupção. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas na segunda-feira 15 de julho de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Tendências: