As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Caiado cresce na cena nacional

Um dos poucos governadores que ainda apoiavam Bolsonaro e avalista do correligionário do DEM Mandetta para ministério da Saúde, goiano Caiado rompeu com presidente por críticas deste ao isolamento social

José Nêumanne

26 de março de 2020 | 18h47

Médico e um dos poucos governadores que ainda apoiavam Bolsonaro, goiano Caiado rompeu com este por divergir de suas críticas ao isolamento social. Foto: Isac Nóbrega/PR 98/11/1919)

Um dos poucos governadores que ainda eram aliados do presidente Jair Bolsonaro, Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás, rompeu com o governo federal. O motivo é a postura do chefe do Executivo quanto ao combate à pandemia do coronavírus. Um dos responsáveis pela indicação do colega médico e político de seu partido Luiz Henrique Mandetta para o ministério da Saúde, afirmou em entrevista coletiva, depois do rompimento, que não seguirá recomendações do presidente de suspender orientações para confinamento em massa da população, adotado como estratégia para frear a propagação da doença. “Com autoridade de governador e o juramento de médico, deixo claro que as decisões do presidente da República na área de saúde em relação ao coronavírus não alcançarão o Estado de Goiás”. Caiado cresceu no cenário nacional.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da quinta-feira 26 de março de 2020

1 – Haisem – Você tem alguma explicação plausível para a equipe econômica de Bolsonaro não ter prestado atenção à ideia do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, agora relançada pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema, de cortar salários e privilégios de marajás

2 – Carolina – Você acha que o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, tem algum motivo sério para romper com o presidente da República, Jair Bolsonaro, por causa do pronunciamento de terça-feira 24 de março

CAIADO 2603 A

3 – Haisem – O que está por trás do bate boca para lá de ríspido entre Jair Bolsonaro e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, na reunião virtual dos governadores do Sudeste com o presidente da República

4 – Carolina – Governadores vão manter medidas restritivas – revela chamada no alto da primeira página do Estadão de hoje. Que conseqüências trará essa decisão de confrontamento para o desempenho do governo federal no combate ao contágio do novo coronavírus

5 – Haisem – Que motivos você acha que o vice-presidente Hamilton Mourão teve para tornar pública sua adesão ao isolamento social da população e ao fechamento de negócios contrariando seu companheiro de chapa vitoriosa na eleição, Jair Bolsonaro, que criticou essas medidas

MOURAO 2603 A

6 – Carolina – Segundo o jornal Valor Econômico, o governo vai autorizar o uso das substâncias cloroquina e hidroxicloroquina em casos graves de pacientes com covid-19. O que você acha da medida

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: