As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cadê o porteiro que citou Bolsonaro?

Nação tem direito de saber quem é e o que tem a dizer porteiro do condomínio que teria contado à polícia do Rio que um dos acusados da execução de Marielle usou nome do presidente para ir à casa do acusado de ter atirado nela

José Nêumanne

03 de novembro de 2019 | 13h26

Uma consequência positiva da barriga da Globo sobre inclusão de Bolsonaro no caso Marielle foi presidente ter procurado imprensa para dar sua versão. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O PCdoB, que não dispõe de votos, mas  tem seus pedidos acolhidos com frequência pelo STF, de cujos membros metade foi escolhida por presidentes do PT, seu sócio político, quer incriminar Bolsonaro por ter copiado áudios da portaria do condomínio onde possui  2 casas. A falsa denúncia foi feita há 5 dias no Jornal Nacional, mas até agora ninguém sabe quem é o porteiro que citou o presidente da República, de quem uma das casas teria sido citada como destino pelo motorista acusado pela polícia do Rio de ter conduzido o matador de Marielle e Anderson ao local do crime. Os meios de comunicação que têm publicado o quiproquó com destaque têm obrigação de localizá-lo, descrevê-lo e, sobretudo, ouvi-lo. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Tendências: