Cadê a autocrítica dos militares?

Em vez de refletir a respeito de críticas de Gilmar sobre militarização do Ministério da Saúde pela má gestão do combate à pademia, ministro da Defesa representou contra ministro ao procurador-geral

José Nêumanne

13 de julho de 2020 | 19h56

 

General Azevedo recorreu a Aras para pedir punição do ministro do STF por este ter constatado desgaste da imagem do Exército pela péssima gestão da Saúde na crise sanitária. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ministro do STF Gilmar Mendes deu aos militares em postos de comando no governo Bolsonaro excelente oportunidade para aprenderem com as críticas que ele fez e salvarem a imagem das Forças Armadas por culpa da militarização do Ministério da Saúde. Mas o ministro da Defesa, general Azevedo, perdeu-a demonstrando completa falta de autocrítica e, principalmente, de espírito público.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.