Cabral entrega figurão do Judiciário
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cabral entrega figurão do Judiciário

Cabral contou a Bretas que considerou indicação do juiz Marco Aurélio Bellize ao STJ conquista política do cunhado deste, Fichtner, que também pegou propina da Odebrecht para reformar Maracanã

José Nêumanne

27 de fevereiro de 2019 | 17h41

Em janeiro de 2011, Temer e Fichtner (de frente), Cabral e Paes (de costas) trataram de socorro federal de R$ 30 milhões para socorro a vítimas de chuvas. Foto: Fábio Motta/Estadão

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral assumiu perante o juiz Marcelo Bretas que é viciado em dinheiro e contou como administrou o propinoduto sob suas ordens. Na condição de réu confesso, contou como o chefe de sua Casa Civil, Régis Fitchner, nomeou o cunhado, Marco Aurélio Bellize, ministro do Superior Tribunal de Justiça, inaugurando o fogo na canjica do Judiciário. E revelou que 78 executivos da Odebrecht omitiram em suas delações premiadas a história de como a empresa ganhou a concorrência da reforma do Maracanã e, depois, ficou com o controle da empresa proprietária da arena. Se gostou deste vídeo, dê um like, inscreva-se no meu canal, clique no sininho para receber aviso quando gravar os próximos e compartilhe-o em Twitter e Facebook. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver o vídeo no YouTube clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: