Cabral delata Judiciário
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cabral delata Judiciário

PF conta com delação premiada ter acesso a lista de Sérgio Cabral com 97 nomes de juízes, desembargadores, ministros de tribunais superiores e membros do Ministério Público

José Nêumanne

07 de fevereiro de 2020 | 12h29

Sérgio Cabral teve delação premiada pedida e negada pelo MPF, mas terminou alcançando objetivo de entregar figurões  que indicou para cúpula do Judiciário na PF. Foto: Fábio Motta/Estadão

O ministro do STF Edson Fachin, relator da Lava Jato, homologou a delação premiada de ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, preso desde 2016 e colecionando 13 condenações que somam mais de 280 anos de prisão. O acordo de delação tem 20 anexos referentes a pessoas com foros especial, incluindo ilustres do inexpugnável Judiciário. Cabral dispõe de uma lista de 97 nomes de juízes, desembargadores, ministros de tribunais superiores e membros do Ministério Público. Custou para sair,  mas vem Lava Toga aí, como anunciei em manchete de comentário, em 18 de fevereiro de 2019, quando a iniciativa do ex-governador começou a ser noticiada.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Para ver no Blog do Nêumanne, Política, Estadão clique no link abaixo:

Assuntos para comentário da sexta-feira 7 de fevereiro de 2020

1 – Haisem – Delação de Cabral atinge ministros do STJ e políticos – é título de chamada na primeira página do Estadão de hoje. Você acha que a homologação pelo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, da delação do ex-governador Sérgio Cabral produzirá mesmo o que dela agentes e procuradores federais esperam

2 – Carolina – Por que se espera tanto dessa delação anunciada do ex-governador do Rio de Janeiro em relação ao Poder Judiciário e por que, a seu ver, até agora este continuou fora do alcance da Lava Jato

3 – Haisem – O que há de tão relevante na revelação feita pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o polêmico Coaf, sobre a remessa de 33 milhões de dólares para o exterior do empresário Eike Batista, que tem tenta fazer delação premiada há muito tempo em vão

4 – Carolina – Marinho vira ministro para dar força à área social – revela chamada na primeira página da edição do Estadão hoje. Você também se surpreendeu com a substituição de Gustavo Canuto no ministério da Integração Nacional pelo ex-deputado tucano Rogério Marinho

BOLSONARO 0702 MINISTRO

5 – Haisem – Juiz rejeita denúncia contra jornalista – diz título da página A 10 da editoria de Política do Estadão hoje. O que você diz da decisão da justiça de não aceitar, “por ora”, a denúncia do Ministério Público Federal contra o editor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald

6 – Carolina – O mesmo juiz federal Ricardo Leite adiou a audiência de Lula na Operação Zelotes para depois de sua visita ao papa Francisco. O que você achou dessa decisão

7 – Haisem – E o que você nos diz do despacho do subprocurador da República Nívio de Freitas a ao negar recurso da defesa de Lula para considerar o desembargador Thompson Flores, do TRF 4, “parcial”

8 – Carolina –Você conseguiria nos explicar o recolhimento de clássicos da literatura brasileira Macunaíma Os Sertões e Memórias Póstumas de Brás Cubas, entre outros livros pela secretaria de educação de Rondônia