As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bye, bye, Renda Brasil

Bolsonaro ameaçou mostrar cartão vermelho a quem ousar lhe fazer proposta de congelar salário ou aposentadoria de pobres para financiar programa de assistencialismo para atender à urgêncvia de mais pobres

José Nêumanne

16 de setembro de 2020 | 21h26

‘Chegaremos a uma solução intermediária, não com o mesmo perfil de hoje’, disse o favorito ao cartão vermelho de Bolsonaro, Waldery Rodrigues, secretário da Fazenda da equipe do “gênio” Guedes. Foto: Fábio Rodigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem de manhã que dará “cartão vermelho” a quem sugere congelar aposentadorias, atitude tomada pelo secretário da Fazenda, Waldery Rodrigues. E também enterrou o programa Renda Brasil, com que Paulo Guedes para adulá-lo formulou para substituir o Bolsa Família do PT. “Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra (sic) Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, afirmou Bolsonaro, em vídeo postado nas redes sociais. O presidente disse ter ficado “surpreendido” ao ler as manchetes dos jornais desta terça-feira sobre as medidas em estudo pela equipe econômica para abrir espaço no Orçamento de 2021 para bancar o novo programa assistencial, em particular o congelamento das aposentadorias dos trabalhadores mais pobres por pelo menos dois anos. A bajulação saiu pela culatra.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-160920-direto-ao-assunt

 

Assuntos para comentário na quarta-feira 16 de setembro de 2020

1 – Haisem – Bolsonaro veta Renda Brasil e Congresso “assume” pauta – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão hoje. O que você acha que levou o presidente da República a agir desta forma truculenta como sempre, mas inesperada, e o Legislativo a ameaçar protagonismo no populismo assistencialista

2 – Carolina – Paulo Guedes diz que cartão vermelho não foi para ele, mas está “pendurado” – este é o título de uma chamada na capa do Portal do Estadão neste momento. Como você interpreta a reação do ministro da Economia à decisão do chefe do governo a que ele pertence

3 – Haisem – Câmara discute abrandar lei da lavagem de dinheiro – esta é a manchete do Portal do Estadão nesta manhã. O que levou os deputados a essa inequívoca negação ao combate à corrupção, reivindicado pela população, que o Legislativo em tese representa

4 – Carolina – Rio de Janeiro, fevereiro e março – Este é o título de seu artigo publicado hoje na página 2, de Opinião, do jornal. Por que você citou no título do texto este verso do sucesso de Gilberto Gil, composto no exílio em Londres que foi imposto a ele e a Caetano Veloso no período mais brutal da ditadura militar neste momento de intervenções judiciais na ex-Cidade Maravilhosa

5 – Haisem – Em frente inédita, ONGs e agro pedem ações para a Amazônia – Esta é a manchete de primeira página do jornal. A que você atribui esta ação inédita de união entre ativistas da ecologia e o agronegócio, que sempre combateram em lados opostos

6 – Carolina – Ensino médio avança no País, mas não atinge meta – Este é título de chamada de primeira página no jornal. O que a constatação desta realidade na educação revela sobre a ação do governo federal em tema tão relevante e delicado

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: