Boquinhas para milicos em desgoverno de meganha

Com quatro meses de atraso, relator do Orçamento de 2021 entrega anteprojeto em meio à pandemia e sem razão nenhuma para isso ao Ministério da Defesa no desgoverno do ídolo das PMs estaduais

José Nêumanne

23 de março de 2021 | 10h07

Relator do Orçamento de 2021, com quatro meses de atraso, destina um quarta dos investimentos do governo federal ao Ministério da Defesa em ano de pandemia e sem guerra à vista. Foto: Gabriela Biló/Estadão

O Orçamento de 2021, previsto para ser votado esta semana com quatro meses de atraso, destina R$ 8,3 bilhões para investir no Ministério da Defesa, um quinto (22%) do total para todo o governo federal, segundo relatório do relador Márcio Bittar. Os fardados também são a única categoria a ser contemplada este ano com reajuste, o que deve consumir outros R$ 7,1 bilhões dos cofres públicos, enquanto todo o restante do funcionalismo está com o salário congelado até dezembro. No momento de colapso do Sistema Único de Saúde por causa do agravamento da pandemia da covid-19, o parecer aumentou em apenas R$ 1,2 bilhão a destinação de recursos para a área em relação ao projeto que foi enviado pelo governo no ano passado. Milicos fingem estar envergonhados com o  comparsa terrorista, mas se locupletam com ele.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário na terça-feira 23 fr março de 2021

 1 – Haisem – Orçamento dá a militar 22% do investimento e reajuste de soldo – Esta é a manchete da edição impressa do Estadão de hoje. Que razão pode ser defendida como justa para esse tipo de privilégio em temos difíceis de pandemia e recessão, mas sem guerra

2 – Carolina – Cidade de São Paulo já planeja enterros noturnos – Este é o título de chamada de primeira página do Estadão desta terça. Até que ponto ainda temos a avançar para chegarmos àquilo que especialistas chamam de crise mortuária acrescentanda ao caos sanitário e à recessão econômica

3 – Haisem – Afinal de contas, que pretextos impedem, de fato, a anunciada troca do titular do Ministério da Saúde num momento como este, em que a tragédia da covid 19 se agrava

4 – Carolina – Revisão da lei anticorrupção opõe técnicos a Bolsonaro – Este é o título de outra chamada de primeira página do jornal de hoje. Qual é a novidade da exposição cada vez maior da mentira do presidente, que foi sua promessa de fortalecer a luta contra a corrupção na campanha de 2018

5 – Haisem – Disputa por espólio de Adriano ajudou o Ministério Público a identificar bens e lavagem de dinheiro – Este é o título  de reportagem publicada hoje no Blog do Fausto Macedo no Portal do Estadão. Que efeitos políticos poderão ser produzidos contra a família Bolsonaro pelas revelações recentes a respeito de seus contatos antigos com a milícia de Rio das Pedras e o Escritório do Crime

6 – Carolina – O povo não perdoa mão leve de Lula – Este é o título de seu artigo semanal, publicado desde ontem no Blog do Nêumanne no Portal do Estadão. O que o levou a chegar a essa conclusão em plena euforia com a higienização da ficha suja moral e política do petista depois da anulação de quatro processos contra ele pelo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.