As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bomba de Palocci, truque de Glenn

Enquanto ex-ministro da Fazenda de Lula conta podres poderes do PT, Greenwald divulga teorias sobre supostas mensagens trocadas por agentes da lei em Telegram tornadas suspeitas de mau comportamento por aliados oportunistas

José Nêumanne

14 de agosto de 2019 | 22h21

Palocci foi espírito santo de orelha de Lula e Dilma e agora PT só tem uma resposta a dar a suas delações bombásticas: a de que são mentirosas. Foto digital: Celso Júnior/AE

Enquanto Glenn Greenwald continuava reproduzindo no site The Intercept Brasil seu truque de interpretar supostas mensagens picantes entre Moro e Dallagnol, Antônio Palocci detonou explosivo poderoso. O ex-ministro de Economia de Lula e da Casa Civil de Dilma contou, segundo a revista Veja, uma das parcerias do americano na imprensa brasileira, que o PT pegou R$ 270,5 milhões em propinas de empreiteiras para financiar campanhas. Apesar do conta-gotas de ácido sulfúrico para derreter sua reputação, a Lava Jato segue seu caminho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: