Bolsonaro usa Abin para salvar Flávio

Bolsonaro usa Abin para salvar Flávio

Presidente está sob suspeita de crime de responsabilidade que pode levar ao impeachment se for comprovada denúncia de que usou Abin e GSI para dar argumentos à defesa do filho no escândalo da Alerj

José Nêumanne

12 de dezembro de 2020 | 17h46

 

É gravíssima a denúncia de que senador pode ter usado serviços de arapongas pagos com dinheiro público para instruir sua defesa no processo pleno de provas do MP/RJ contra ele por peculato na Alerj. Foto: Beto Barata/Agência Estado

1 – Abin, órgão de informação do Estado, sustentado pelo contribuinte, espionou agentes da Receita para tentar limpar barra sujíssima do primogênito de Bolsonaro no escândalo das extorsões na Alerj. 2 – Governo federal ameaça confiscar criminosamente vacinas contra covid. 3 – Pazuello gastará R$ 4,5 milhões para comprar cloroquina e Anita e vender “kit covid” na Farmácia Popular. 4 – Processo sobre propinas de R$ 132 milhões da Oi para Lulinha, inspirador de Renanzeco, filho 004 do capitão de milícias para Justiça do Rio, bem longe da mira implacável da Lava Jato. Direto ao assunto. Inté. Só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.