As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro trata público como privado

Em mensagem por telefone presidente confessa seu interesse exclusivo na superintendência da Polícia Federal do Rio, que chama de meu Estado, uma prática extrema de confusão de público e privado

José Nêumanne

06 de maio de 2020 | 19h16

Ao exibir aos repórteres à porta do Alvorada mensagens trocadas entre ele e Moro no celular, Bolsonaro revelou sem querer sua interferência no Ibama, que não pertence à Justiça, mas ao Meio Ambiente. Foto: Gabriela Biló/Estadão

“Moro, você tem 27 superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro”.  Por que a do Rio? “Porque é o meu Estado”. Estas frases constam de uma conversa pelo aplicativo WhatsApp entre o autor, o presidente da República, Jair Bolsonaro, e seu então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que entregou seus aparelhos de telefonia celular aos interrogadores do depoimento prestado sábado na sede da Polícia Federal em Curitiba no sábado 3 de maio. Reveladas com o maior destaque nas edições do dia de todos os meios de comunicação do País, elas expõem com clareza e cinismo uma extrema mistura de público e privado, como nunca talvez antes tenha havido na História. A revelação dessa confissão só se tornou possível porque o decano do STF, Celso de Mello, tirou todo o sigilo do processo de que constam.

Assuntos para comentário da quarta-feira 6 de maio de 2020:

1 – Haisem – Depoimento de Moro à PF – ‘Você tem 27 superintendências, eu só quero uma, a do Rio’ – O que há, a seu ver, de tão chocante nesta frase que o ex-ministro da Justiça atribuiu ao presidente da República, Jair Bolsonaro e é a manchete de primeira página da edição do Estadão de hoje

2 – Carolina – Você acha que o presidente Jair Bolsonaro cumprirá o prazo de 72 horas, dado ontem pela Justiça do Distrito Federal para que ele explique as mudanças no comando da Polícia Federal

3 – Haisem – Celso de Mello autoriza depoimento de três ministros generais – Que conseqüências práticas, em sua opinião, poderá ter essa decisão do decano do Supremo Tribunal Federal na investigação sobre as acusações feitas por Sérgio Moro contra Jair Bolsonaro

4 – Carolina – Que resultados poderá ter no inquérito aberto pelo decano do STF, Celso de Mello, a mensagem de WhatsApp exibida ontem pelo presidente Jair Bolsonaro no seu celular que, segundo ele, prova que o Sérgio Moro vazou informação sigilosa à imprensa

5 – Haisem – O que provam, a seu ver, as revelações feitas ontem sobre as agressões de bolsonaristas a profissionais da saúde e jornalistas em manifestações públicas que chegam perto.muito perto, de gabinetes do governo federal

6 – Carolina – Que revelações faz o primeiro editorial do Estadão hoje para justificar o título a respeito do presidente Jair Bolsonaro, Um mau militar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.