As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro reparte governo com Centrão

Com Guedes e o Centrão presidente anunciou prorrogação do auxilio pela pandemia por mais quatro meses no dia em que o PIB do 2.º trimestre teve queda histórica de 9,7%

José Nêumanne

02 de setembro de 2020 | 17h34

Ao lado de Guedes e líderes do Centrão como Coelho, Bolsonaro anunciou auxílio emergencial menor para compensar recorde de queda do PIB. Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro dividiu o impacto histórico do PIB negativo de 9,7% no segundo trimestre anunciando renovação do auxílio emergencial da pandemia em parceria com o ministro da Economia, Paulo Guedes e com o Centrão de seus líderes na Câmara, Ricardo Barros, no Senado, Fernando Bezerra Coelho, e no Congresso, senador Eduardo Gomes. A ideia foi dividir a responsabilidade da divisão pela metade, de R$ 600 mensais distribuídos de abril a agosto para R$ 300 até o fim deste ano com o Congresso. Trata-se de mais um passo na estratégia da reeleicão, que atualmente é a única preocupação dele e de seus aliados, Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

MOSTRAR MENOS

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: