Bolsonaro, Pazuello e Torres, trio mortal

Ao menos 80 mil brasileiros morrerão se Anvisa, chefiada por contra-almirante, cumprir ameaça do ministro da Saúde, cegamente obediente ao presidente , de levar 60 dias para autorizar vacina

José Nêumanne

10 de dezembro de 2020 | 18h21

Como ministro da Saúde, Pazuello, presidente da Anvisa, Barra Torres, é tão negacionista que compareceu ao lado do presidente Jair Bolsonaro em manifestação de militantes antidemocracia. Foto: Reprodução/Facebook

1 – Segue campanha contra vacina, liderada por presidente da República, ministro da Saúde e presidente da Anvisa, que namoram em público morte de ao menos 40 mil brasileiros que contrairão covid-19 nos dois meses de prazo para certificação de vacinas. 2 – Doria fez a coisa certa marcando começo da vacinação em São Paulo; Frota também, ao recorrer ao STF para forçar governo federal a agir contra pandemia; e Fux, idem, ao votar contra acordão para reeleger presidentes do Legislativo, combinação de Gilmar, Toffoli, Lewandowski, Moraes e Marques. 3 – Gol de Gaspari, que escreveu que, se Pazuello chefiasse logística dos aliados, alemães ainda estariam ocupando Paris. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. Link para entrevista de Vecina na Eldorado: https://eldorado.estadao.com.br/audio…

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.